Triatleta morre atropelado por ônibus durante treinamento na manhã desta terça-feira

ciclista

O ciclista Pedro Nikolay, de 30 anos, morreu na manhã desta terça-feira, 30, após ser atropelado na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, Zona Sul do da cidade do Rio de Janeiro. Ele foi atingido por um ônibus da linha 433 (Vila Isabel Leblon).

Nikolay, que era dentista, participava de um treinamento que reunia cerca de 20 atletas, por volta das 5h50. Segundo testemunhas, o triatleta foi atingindo após o coletivo avançar o sinal vermelho. Ele foi atendido com vida no Hospital Miguel Couto, no Leblon, mas acabou falecendo por volta das 10h em decorrência das fraturas múltiplas pelo corpo.

Produtora de TV atropelada no Leblon

A morte de Nikolay foi a segunda de ciclistas na Zona Sul neste mês. No dia 1º, Gisela Matta, produtora do programa “Amor e sexo”, da TV Globo, morreu depois de ter sido atropelada enquanto andava de bicicleta, no domingo, entre as esquinas das Ruas General San Martin e Bartolomeu Mitre, no Leblon, Zona Sul do Rio.

A jornalista foi atendida no mesmo dia no Hospital Miguel Couto, onde passou a noite sob procedimentos médicos, mas morreu.

A segurança vem sendo um dos principais adversários dos atletas que treinam nas ruas do Rio de Janeiro e no Basil. Os constantes atropelamentos vêem criando uma sensação de insegurança e medidas quanto a isso devem ser, além de discutidas, postas em prática para que tragédias como esta não voltem a acontecer.

Aos motoristas, reforçamos o pedido de atenção ao passar por ciclistas, seguindo a indicação de se manter a 1,5 metros (link para a matéria sobre o assunto no site do nenem), conforme já mostramos anteriormente.

Abaixo, uma reflexão feita pelo Carlos Eugenio Ferraro, o NENEM

“Já estava mais que na hora das autoridades tomarem providências mais eficientes de educação e respeito no trânsito para que as pessoas possam ter seus momentos de lazer, e os atletas possam treinar sem correr risco de vida.

É inimaginável que uma cidade com pessoas sem a menor consciência e respeito ao próximo vá ser sede dos Jogos Olímpicos daqui a 3 anos. Para mim, o maior legado que os jogos poderiam deixar seria uma melhor educação e respeito aos atletas.”

– Carlos Eugenio Ferraro