Os segredos da mente campeã

O que faz atletas com características físicas e condições de treinamento semelhantes apresentarem desempenhos diferentes? O que faz com que atletas favoritos não consigam atingir seu auge em Jogos Olímpicos (lembra dos brasileiros em Pequim?) ou competições importantes? O que faz alguém conseguir suportar um Ironman, um Ultraman ou um Deca-Ironman?

istoe-cemais3

Para responder essas perguntas, o PhD Stephen Long conduziu uma pesquisa de mais de 20 anos com vários atletas e equipes de elite mundial em diversos esportes diferentes, entre eles grandes campeões olímpicos. O resultado dessa pesquisa foi transformado em seu livro espetacular, LEVEL SIX PERFORMANCE.

O Doutor Long descobriu que a alta performance dos atletas exigia o equilíbrio entre três pontos: 1) Inteligência para aproveitar seu potencial; 2) Conhecimento sobre seu corpo e seu esporte; 3) Uma forma peculiar de pensamento sobre sua vida no esporte. Perceba que ele sequer menciona a condição física, pois esse é um PRESSUPOSTO do atleta.

Sua pesquisa mostrou que somente 2% dos atletas (amadores e profissionais) conseguiam atingir o nível máximo de performance, o Nível Seis. Todos esses atletas tinham algo em comum: a forma de pensar e encarar o esporte, tanto na preparação para as competições, quanto durante as competições. Esses pensamentos geram hábitos e habilidades não encontradas em outros atletas na pesquisa.

Essa forma de pensar foi sumarizada em 11 princípios simples, que podem fazer muita diferença em sua performance:

1. Aprendizado sobre ignorância: atletas de ponta não se lamentam com problemas ocorridos durante treinos e competições. Aprenda com a diferença entre o esperado e o ocorrido;

2. Simplicidade sobre complexidade: mantenha as coisas simples, não tente implementar fórmulas mirabolantes de alimentação, treinamento, descanso. Além de aumentar o risco de alguma coisa sair errada, coisas complexas costumam tomar tempo e gerar stress.

3. Proficiência sobre incompetência: atletas de alto desempenho NUNCA estão satisfeito com sua performance, pois sabem que podem melhorar. Além disso, essa é a principal motivação para manter um nível de excelência.

4. Excelência sobre mediocridade: mantenha as coisas simples, mas faça da melhor forma possível. Em alguns esportes os atletas de primeira linha conseguem criar suas próprias técnicas, como na natação, mas só a utilizam quando estão excelentes, independentes da visão tradicional e seguros.

5. Processo sobre resultado: esse princípio se resume em uma frase: gostar mais de treinar do que de competir. Imagine os treinos para o Ironman, ninguém vai te dar uma medalha e não haverá pessoas gritando nos seus treinos longos de 6horas de bicicleta no domingo de manhã. A paixão pelo processo para se atingir a performance é fundamental. As chances de sucesso são mínimas se não há prazer.

6. Progresso sobre deterioração: os grandes atletas sabem quando competir, não são afoitos para participar de tudo, pois sabem que isso pode minar seu desempenho. A mesma ideia se aplica aos treinos, não adianta transformar todos os treinos em pequenas competições contra seus colegas, você estará se deteriorando, especialmente no triathlon.

7. Decisão sobre vacilo: campeões em vários esportes são determinados, eles não acordam ás 05:00 e ficam pensando se devem treinar ou não, eles levantam e treinam. Neste ponto, basta fazer o que tem que ser feito. Já aconteceu de você acordar de manhã e vacilar sobre o treino? Aí você decide treinar no final da tarde, mas acontece alguma coisa.

8. Equilíbrio sobre extremismo: grandes atletas não são radicais, eles conseguem equilibrar outros prazeres com o esporte. A chave aqui é o equilíbrio. Você não precisa comer uma torta de chocolate todos os dias, mas você pode comer alguns pedaços esporadicamente, de acordo com seu programa de treinamento. Long afirma no livro que todos os atletas que seguem uma base extremista acabam se sentido frustrados e pouco recompensados.

9. Eficiência sobre desperdício: sempre questione COMO você está fazendo para obter melhores resultados. Isso é especialmente sensível na natação. Onde a técnica representa muito mais do que seu preparo físico. Atletas de longa distância sabem que eles precisam ser eficientes.

10. Confiança sobre a dúvida: os maiores campeões olímpicos já falharam algum dia, mas não desistiram por causa disso. Não faça um dia ruim se tornar uma vida ruim, esteja sempre confiante.

11. Humildade sobre arrogância: todos conhecem o velocista americano Tyson Gay. Alguns meses antes das Olimpíadas de Pequim, Tyson se autoproclamava imbatível. Ele sequer chegou à final dos 100m livres.

Publicado originalmente em www.mundotri.com.br