Objetivos

Tenho visto ao longo destes quase 30 anos de triathlon, muita gente começando e parando  numa rapidez de impressionar. Muitos deles atletas, muitos entusiastas, mas em sua maioria apenas praticantes de esporte.

objetivos

Em todos os setores de nossa vida, precisamos ter “objetivos” – na família, no trabalho, no amor e até no lazer, ter “objetivo” nos ajuda. E no esporte não poderia ser diferente.

O “objetivo” nos direciona para onde queremos e onde devemos ir. E ainda, nos facilita a acordar e saber o que fazer, ou saber o que terá que ser feito. Mas estas metas e objetivos, muitas vezes, nos trazem algumas surpresas.

Nestas 3 décadas vivenciando o esporte, pude perceber claramente as mais variadas nuances e armadilhas dos diferentes “objetivos” de cada atleta.

No esporte, ao escolhermos nosso rumo e qual caminho queremos trilhar, temos que ter o cuidado de saber duas coisas importantes: Onde queremos chegar? E por quanto tempo queremos fazer isso?

A primeira, tem a ver com o grau de importância que daremos ao “objetivo”. E a segunda, quanto tempo ele ainda será seu “objetivo”.

Quanto maior e mais difícil for sua meta, maiores serão os obstáculos que encontrará no seu caminho, e maior terá que ser seu sacrifício. Lógico que, se alcançados a satisfação e o prazer, não tem preço …. nos sentimos nas nuvens. Mas aqui temos uma grande armadilha; a decepção de um grande “objetivo” não alcançado é,  sem duvida, uma derrota que levamos muito tempo para superar. Em muitos casos o dano é irreparável, quero dizer: alguns não voltam mais.

Os pequenos “objetivos”, num primeiro momento, podem parecer sem graça e é difícil achar motivação, mas com certeza, são eles que nos fazem, mesmo que inconscientemente, ter pequenas alegrias frequentes – por exemplo, de treinos ou provas aparentemente sem importância. Essas pequenas metas são o nosso combustível diário para sair de casa e treinar, dia após dia, ano após ano e, em alguns casos, década após década.

Claro que todo mundo tem que ter grandes objetivos –  na vida, no esporte, etc. –  mas não é toda hora que todos os ventos sopram a seu favor. Então, no meu entender, somente crie tamanha expectativa quando realmente você estiver disposto a se doar 100%  para atingi-lo. E mesmo que você faça tudo como manda o figurino, corre o risco de ter uma decepção no final. E ainda, ao alcançar o “objetivo” tão grandioso, corre-se o risco de perder, por um bom tempo, a motivação e o ânimo para voltar aos treinos.

Para se chegar longe dentro do esporte, os pequenos “objetivos” são mais importantes do que os grandes. No caso, estamos falando de atletas amadores ou praticantes do esporte, chegar longe, não é atingir grandes metas, grandes marcas, grandes vitórias, mas sim, durar no esporte por longas décadas e, principalmente, envelhecer com saúde e praticando esporte. Neles, as decepções são facilmente transpostas e mesmo as alegrias não sendo tão grandes, elas são mais frequentes.

Importante:  Os treinos e a fase de preparação, para se atingir qualquer “objetivo”, é a parte mais divertida e bacana de todo este processo. Quando você começar a curtir cada dia de treino, gostar do que está fazendo e sua cabeça perceber que cada movimento do seu corpo tem um objetivo neste processo, ai você está  começando a entrar no caminho certo para atingir todo e qualquer objetivo que se proponha.

PS: Quer um grande objetivo?

 

Treine firme por mais de 20 anos. Este sim, é um grande “objetivo”.

 

Um abraço e bons treinos!