Haile Gebrselassie

Haile Gebrselassie

Haile Gebrselassie talvez seja o maior fundista de todos os tempos, com seus 27 recordes mundiais (!!) e outras tantas medalhas olímpicas. Ele passou a investir nas maratonas apenas no ano de 2002 em sua estreia em Londres. Ele iniciou a prova em um ritmo de recorde mundial, mas acabou sucumbindo nos metros finais terminando em terceiro, atrás do então recordista mundial, Khalid Khannouchi e para aquele que seria anos depois o recordista e seu sempre rival Paul Tergat. Em 2007, Gebrselassie depois de outras provas com marcas excelentes, conseguiu aquilo que ele tanto buscava: venceu a importante Maratona de Berlim com mais um recorde mundial (2h04min26), roubando por 29 segundos o recorde de Tergat conseguido na mesma prova. O feito lhe rendeu ainda no asfalto um telefonema ao seu amigo com pedidos de desculpas. No ano de 2008 o incrível aconteceu mais uma vez. Haile inicia a prova em ritmo de recorde mundial, seus coelhos o acompanham até onde conseguem, caindo um a um com o último “fumando” na marca de 35 km. Nos 5Km finais, sabendo que está perto de mais um feito, Geb acelera sozinho, faz dos últimos 5Km os mais rápidos da prova num ritmo alucinante e quebra por 27 segundos mais um recorde do mundo e desta vez quebra uma barreira que é correr pela primeira vez abaixo das 2h04, estabelecendo fantásticos 2h03min59. É interessante reparar numa curiosidade no braço esquerdo do atleta: Haile cresceu numa fazenda que ficava a 10 Km de sua escola e, por fazer o mesmo trajeto desde criança correndo para ir e voltar, seu braço esquerdo ainda faz um movimento levemente diferente do direito, pois é nele que carregava os livros escolares. FONTE:...

Leia Mais

A Importância da Base para uma Boa Temporada

A escassez de corridas nos meses de janeiro e fevereiro cria um momento oportuno para se fazer o chamado “treinamento de base”, tradicionalmente conhecido como treinamento de volume. É a época em que o corredor cobre grandes distâncias por sessão, variando o terreno percorrido, subindo morros e cruzando campos, nada muito específico.Tudo feito esquecendo o relógio, o que permite um ritmo agradável. Esta visão do treinamento é bastante convidativa; nada de compromisso, nada de cobranças com relação á performance, ficando só o prazer da corrida. Vale lembrar também que no período de base o atleta deve procurar fazer outras atividades, que vão compor um mosaico com os treinos de corrida, desenvolvendo o corpo comum todo.Nesse sentido são realizados exercícios de ginástica localizada com o propósito de fortalecer a musculatura das pernas, costas e abdômen, além de tórax e braços.Deve-se dar, igualmente, atenção aos exercícios que trabalham amplitude do movimento, através de séries de alongamentos. Neste mês de janeiro, preferencialmente, deve-ser começar com poucas corridas, priorizando atividades diferentes, como ciclismo, natação, caminhada e jogos coletivos. Neste período, que pode variar de 2 a 4 semanas, o atleta tem um intervalo para se recuperar de alguma lesão que por acaso tenha sofrido nos últimos meses do ano anterior. Vale lembrar que esta abordagem “tradicional” do treinamento de base é, porém, alvo de um número cada vez maior de críticos, que consideram pouco eficiente esta metodologia.Treinamento de base, executado com menor volume e maior intensidade, traz respostas mais significativas á performance, tanto para o atleta de elite quanto para o amador. Para o treino e saúde o ideal é mesclar treinos curtos de maior intensidade – uma a duas vezes por semana – com treinos mas longos no restante da semana. Os atletas com resultados mais expressivos ou com mais tempo de trabalho tendem a fazer uma base mais intensa, enquanto para aqueles menos experientes em corrida, idosos ou os afastados de provas há algum tempo recomenda-se uma base mais tradicional. DICAS IMPORTANTES Valem as dicas para o treinamento nesta fase: • hidrate-se sempre; • use roupas leves e claras; • use tênis macio; • varie o terreno(morros, areia, cross, asfalto); • proteja-se do sol (protetor solar com alto fator de proteção e à base de água, óculos escuros e...

Leia Mais

Aprendendo a Respirar

Nos dias de hoje, milhões de pessoas respiram de forma inadequada por não saberem a sua importância.Uma má respiração pode levar até a um enfraquecimento os músculos do tórax, diafragma e costas. As duas principais fontes de energia à nossa disposição são: os alimentos que ingerimos e o ar. A respiração ocorre como resultado de um esforço muscular, recebendo oxigênio “puro” E livrando-se do gás carbônico e da água. Nós inspiramos e expiamos cerca de 16 vezes por minuto, absorvendo uma média de 0,5 litros de ar de cada vez. Essa quantidade pode ser maior quando necessária, principalmente quando praticamos uma atividade física, segundo o American College of Sports Medicine, realizando em Seatlle 99, nos Estados Unidos. O oxigênio entra no sangue e o dióxido de carbono passa para os pulmões, antes que o ar seja expirado. A respiração profunda e ritmada é um sinal de descontração e também um sinal de saúde e bem-estar. Quais os benefícios de uma respiração controlada e profunda? · Limpar os pulmões dos produtos residuais do sangue desoxigenado. · Utilizar continuamente os vários músculos do tórax, diafragma e costas. Qual a forma correta de respirar? A respiração adequada deve ser feita pelo nariz, o que significa que o ar é filtrado e aquecido antes de alcançar os pulmões. Como relaxar com uma respiração natural e profunda? Este é um dos mais simples e gratificantes exercícios de relaxamento que você pode fazer quando estiver tenso, cansado, antes de se levantar ou mesmo antes de dormir. Deite no chão (superfície plana) e alongue-se lentamente. Mantenha as pernas e os braços afastados do corpo e as palmas das mãos voltadas para cima. Imagin algo agradável e tranqüilizante ( como as ondas do mar, musica ou um jardim com flores). Sinta o ar em cada inspiração entrar pelo nariz levando pureza, energia e saúde para dentro de você até o abdome. Ao expirar pela boca, você sentirá o relaxamento total do corpo. Deixe que cada respiração se torne mais profunda e lenta ( segue a respiração de 3 a 6 segundos). Repita esse exercício 10 vezes ( se possível duas vezes ao dia) para relaxar e ter uma ótima...

Leia Mais

Respeitando os Limites do seu Corpo

Respeitando os Limites do seu Corpo

Segundo pesquisas realizadas pelo American College of Sports Medicine, que tem acompanhado vários corredores amadores e profissionais em provas no Brasil e no exterior, descreve como o calor pode afetar o nosso corpo, em situações extremas: …quando está quente, o corpo luta para manter a temperatura corporal e 36,5 graus. A sobrecarga no coração e vasos sanguíneos pode causar taquicardia e outros problemas, como: …Cérebro: o hipotálamo, que é o termostato corporal, determina que o corpo está muito aquecido. …Sangue: os vasos sanguíneos se expandem, e o coração bate mais acelerado para aumentar o fluxo sanguíneo. O sangue leva o calor do interior do corpo para a superfície. …Pele: a evaporação do suor da pele elimina boa parte do calor do corpo, mais a umidade alta retarda o processo. Se o suor não evapora, a temperatura corporal aumenta ( é como se estivéssemos correndo envolto por um saco plástico). …Líquidos: se os líquidos perdidos com o suor não são repostos, o corpo começa a se desidratar. O ideal é se hidratar de 15 a 20 minutos em corridas de longa duração. Evitar os horários de pico entre 11 e 17 horas. Usar roupas claras de fácil ventilação. Hidratar-se (2 a 3 litros de água por dia ) principalmente nos períodos de alta temperatura, e índices elevados de umidade. Se apesar de tudo isso algo dar errado durante a prova nessas condições, o melhor é parar(pelo menos por enquanto, até a próxima prova) e procurar um posto...

Leia Mais

Ácido Lático: Tenha uma Boa Convivência com Ele

O ácido lático está presente no dia-a-dia dos atletas de resistência e normalmente é associado à fadiga ou a algo que devemos evitar; porém, a maneira como é produzido ou removido e, principalmente, qual a sua função no organismo é normalmente pouco conhecida. o ácido lático é produzido a todo momento no organismo, inclusive quando estamos em repouso. Após ser produzido no interior da célula, o ácido lático é convertido em lactato, que é uma forma menos agressiva ao organismo. Durante atividades de baixa intensidade, como trotar, o organismo fornece às células musculares a quantidade de oxigênio adequada para a realização da atividade. Com o aumento da intensidade, mais oxigênio será necessário para fornecer a energia necessária à manutenção o exercício. E como aumento da intensidade do exercício, mais ácido lático é gerado. Segundo a explicação clássica de produção de ácido lático, ela ocorre quando a célula não recebe a quantidade de oxigênio suficiente para a realização do trabalho, mas mesmo assim é solicitada a realizá-lo sem o oxigênio suficiente. Seguindo a linha de raciocínio deste modelo, o exercício realizado quando a oferta de oxigênio é bastante grande, sendo a atividade física mantida basicamente à presença de oxigênio. O exercício anaeróbico, por sua vez, é aquele onde há uma oferta inadequada de oxigênio, obrigando o organismo a trabalhar com um déficit de oxigênio e, desta forma, como maior produção de ácido lático. Mas, cuidado, é inadequada a explicação de que o exercício aeróbico é o executado com oxigênio e o anaeróbio é o exercício sem oxigênio. Então, durante toda a prática esportiva o ácido lático é produzido. No entanto, o organismo possui mecanismos que vão removendo este ácido lático. Quanto maior a intensidade do exercício, mais ácido lático, só que sua retirada também aumenta. A capacidade de remoção do ácido lático varia de organismo para organismo, sendo aceito que os atletas possuem uma capacidade de remoção maior que a dos sedentários. Ao atingir um determinado ponto, a remoção do ácido lático não consegue equilibrar a produção do mesmo. Este ponto é o chamado limiar anaeróbico e sua determinação tem implicações diretas como a qualidade do treinamento. A Teoria do VO2 Máximo e a Qualidade do Atleta Durante muitos anos, o parâmetro fisiológico que melhor qualificava o atleta de resistência era seu VO2 Máximo. Desta forma, aquele com maior VO2 Máximo era tido como potencialmente mais capacitado a vencer uma prova de longa distância. Com desenvolvimento dos instrumentos de avaliação e como o aumento nas pesquisas na área fisiologia do exercício, verificou-se que atletas com maior VO2 Máximo não eram necessariamente os mesmos que venciam as maratonas. A VVO2 Máximo O atleta não mantém sua velocidade de corrida relativa ao VO2 Máximo durante toda a maratona. Foi sugerida a idéia do VVO2 Máximo , que seria a maior velocidade que o atleta poderia manter por um determinado tempo ou a...

Leia Mais

Prevenindo Lesões

Prevenindo Lesões

Um dos segredos para grandes resultados está num ato simples e totalmente indispensável para qualquer ser humano, e principalmente para nós atletas, o ALONGAMENTO. Muitas vezes nos deixamos enganar, pensando que somente estando “fortes” e treinados, conseguiremos bons resultados, e não medimos esforços para nadar, fazer extensor, pedalar, correr, fazer musculação, etc…, mas esquecemos que nossa “máquina”, precisa de cuidados para continuar funcionando e para conseguir as tão esperadas vitórias. Os músculos , nossa máquina de trabalho, precisam estar bem cuidados para melhorar nossa performance, e prevenir que as indesejáveis lesões se instalem e nos afastem de nosso treinamento, para isso necessitamos estar bem alongados, pois o músculo verdadeiramente forte é aquele que consegue aproveitar sua maior amplitude de extensão, associado a uma exigência de contração máxima, tendo como resultado um aumento na potência da atividade exercida. O trabalho com atletas, por mais intenso e longos que sejam seus treinamentos, precisa ser analisado minuciosamente de acordo com a atividade e gesto esportivo exercido, além de informações completas sobre a vida da pessoa a ser cuidada, estamos trabalhando com a Sandra ao longo dos últimos anos visando os Jogos Olímpicos de Atenas em 2004, com um cuidado permanente e intensivo priorizando o ALONGAMENTO através da R.P.G ( Reeducação Postural Global), onde realizamos sessões no mínimo 1 vez na semana, intensificando de acordo com o treinamento, e buscando de maneira global e eficiente tornar a atleta mais flexível, com um melhor alinhamento articular, e com isso, melhoramos sua mecânica do gesto esportivo, conseqüentemente sua performance, e o mais importante, prevenimos o aparecimento de lesões que poderiam afastá-la do treinamento e atrapalhar e muito seu desempenho ao longo do ano nas competições Maiores informações: Dr. Antonio Chaer Filho Crefito-2/ 35425 F antonio.chaer@globo.com ou www.sbrpg.com.br Endereço: R. Otávio Carneiro 100 gr. 708 – Icaraí – Niterói – RJ (21) 9621-1770 /...

Leia Mais